Assembleia marca audiência na surdina

Com pouca divulgação, a Assembleia Legislativa convocou dia 04 de agosto uma audiência pública em Vila Bela da Santíssima Trinidade para uma demonstração de força contra o Parque. Vamos lotar a audiência em Vila Bela e mostrar que não admitimos #NenhumHectareaMenos! Confirme a presença na nossa página no Facebook

Criado em 1997 em Vila Bela da Santíssima Trindade – Mato Grosso, após um intenso processo de diálogos e consultas com a sociedade, o Parque Estadual Serra de Ricardo Franco abriga uma região de alto valor para conservação. É divisor de águas das bacias Platina e Amazônica e forma o maior corredor ecológico de cerrado com o Parque Nacional Noel Kempf Mercado, na Bolívia. Esta zona de transição é refúgio de centenas de espécies de animais e plantas endêmicas das quais uma parte está ameaçada de extinção. O potencial turístico é o maior de Mato Grosso, contendo paisagens de beleza cênica inigualável, centenas de poços e cachoeiras.

O Parque está ameaçado por interesses privados articulados com deputados estaduais para, inicialmente, extinguir o Parque e agora redefinir seus limites e, assim, legalizar atividades ilícitas. Mapeamentos da cobertura vegetal comprovam que invasores têm apostado na abertura de novas áreas depois da criação do Parque e estão, hoje, procurando excluir essas áreas do Parque.

Seguindo o exemplo da Floresta Nacional do Jamamxim no Pará e da Reserva Guariba Roosevelt em Mato Grosso, este é mais um exemplo da estratégia que ameaça hoje as Unidades de Conservação brasileiras: interesses privados têm colocado as florestas no chão para criar fatos consumados e tomadores de decisão em Brasília ou nas capitais estaduais para reduzir as áreas de conservação e legalizar as áreas abertas ilegalmente.

A tentativa de diminuir áreas de Unidades de Conservação (UCs) via decreto legislativo já foi tentada contra outras áreas do país. Entretanto, tais ações não foram bem sucedidas em razão da atuação da sociedade civil organizada (ONGs e comunidades locais) e do Ministério Público. Além disso, os deputados ignoram a existência de lei específica para as UCs: o SNUC (Sistema Nacional de Unidades de Conservação), criado para manutenção e defesa dessas áreas.

O movimento SOS Parque Ricardo Franco é uma iniciativa de diversos segmentos da sociedade civil (Ministério Público Estadual de Mato Grosso, ONGs, servidores públicos, jornalistas, professores, turismólogos e pessoas físicas) na defesa do Parque.

Em maio de 2017, o SOS mobilizou a sociedade e conseguiu reverter uma tentativa da Assembleia Legislativa Estadual de Mato Grosso de extinguir o Parque. Continua hoje em estado de alerta, já que a mesma Assembleia está promovendo discussões sobre os limites do Parque.

Com pouca divulgação, a Assembleia Legislativa convocou dia 04 de agosto uma audiência pública em Vila Bela da Santíssima Trinidade para uma demonstração de força contra o Parque. É fundamental que a manifestação da sociedade brasileira para o cumprimento da lei e a proteção das suas florestas: Salve o Parque Estadual da Serra de Ricardo Franco!!!

A sociedade quer e precisa de suas Unidades de Conservação. Vamos mostrar que elas devem continuar sendo bens públicos e preservados para essa e futuras gerações, e não bens privados para poucos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s